Exclusivo!

Sentença em Sergipe, 23 dias; na Bahia, 28 meses

Quando os vereadores de Poço Verde Emilio de Jesus Souza, o Dii de Nilo, secretário de obras, Amaury Batista Freire, atual secretário d...

Novidade

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sentença em Sergipe, 23 dias; na Bahia, 28 meses

Quando os vereadores de Poço Verde Emilio de Jesus Souza, o Dii de Nilo, secretário de obras, Amaury Batista Freire, atual secretário de saúde, e Gileno Santana Alves, Secretário de desenvolvimento rural sustentável, nomeados pelo prefeito de Poço Verde Iggor de Oliveira, optaram pelos seus respectivos vencimentos na Câmara de Vereadores, abrindo mão dos salários das respectivas pastas, logo me veio o caso da vereadora Ana Dalva, da Rede Sustentabilidade, em Heliópolis. Era o momento de comparar as duas visões jurídicas dos estados a respeito do tema. Fiquei aguardando para ver se a Justiça sergipana era pior que a da Bahia e também para calcular até que ponto pode ir um magistrado no processo de manipulação das leis em nossa região. E para não tirar conclusões imediatas, detalharei tudo o que ocorreu nos dois casos, tanto em Heliópolis, na Bahia, como em Poço Verde, em Sergipe.
O caso Ana Dalva
Vereadora Ana Dalva (Rede - Heliópolis-BA)
A vereadora Ana Dalva foi nomeada pelo prefeito Ildefonso Andrade Fonseca como secretária municipal de saúde, em março de 2015. Como o vencimento de vereador é superior ao de secretário, Ana Dalva optou para continuar recebendo os vencimentos de seu mandato e comunicou sua decisão em ofício protocolado na Câmara Municipal de Heliópolis. O presidente da casa, vereador Giomar Evangelista, não fez o pagamento, embora soubesse que a vereadora tinha direito. Não só não pagou como também, com o voto dos vereadores Claudivan Alves, Doriedson Oliveira, José Mendonça Dantas e Valdelício Dantas da Gama, excluiu do Regimento Interno parágrafo que dava legalidade à opção da vereadora. E só não mudou a Constituição porque isso jamais seria possível.
A vereadora entrou com um mandato de Segurança para garantir direito justo e certo, processo 8000018.68.2015.8.05.0057. O juiz Leonardo Fonseca Rocha, da vara cível da Comarca de Cícero Dantas, ordenou imediatamente a inclusão de Ana Dalva na folha de pagamento. O indigitado presidente da Câmara, dizendo-se dentro do Regimento Interno, recorreu com um agravo de instrumento. O Juiz manteve sua decisão e a coisa foi parar em Salvador nas mãos da Desembargadora Gardênia Pereira Duarte. Somente em 19 de abril de 2016, mais de um ano depois, a desembargadora manteve a suspensão da Liminar, alegando que não poderia o juiz determinar o pagamento dos salários retroativamente. A decisão esdrúxula da magistrada remeteu a decisão do mérito novamente para a Comarca de Cícero Dantas.
Além do embate na Justiça, Ana Dalva também entrou com denúncia no Tribunal de Contas dos Municípios. Na sessão ordinária do dia 14 de abril de 2016, processo nº 13850-15, o conselheiro Mário Negromonte, em seu Parecer, com votos dos conselheiros José Alfredo Rocha Dias, Raimundo Moreira, Paolo Marconi, Fernando Vita e Plínio Carneiro Filho, todos favoráveis, acatou a denúncia e imputou uma multa insignificante de 500 reais, ordenando que o vereador Giomar Evangelista pagasse todos os vencimentos atrasadas da vereadora Ana Dalva, da Rede. A multa ele ainda pagou naquele mesmo ano, mas, 28 meses depois, o processo ainda está sem decisão. Por ter desafiado a Constituição, Giomar Evangelista dos Santos ainda teve suas contas do ano de 2015 aprovados sem ressalvas pelo próprio tribunal que o sentenciou.
O caso de Poço Verde
Alexandre Dias (Presidente CM Poço Verde-SE)
Após serem nomeados, Dii de Nilo, Amaury Batista Freire e Gileno Santana resolveram optar por continuarem recebendo os seus vencimentos pela Câmara Municipal de Poço Verde, como lhes faculta o Artigo 38, incisos II e III, da Constituição da República Federativa do Brasil e o Artigo 48, Parágrafo 4º, do Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Poço Verde, Sergipe. Tudo tão claro com um dia de verão. O presidente da casa sentiu o baque. Eram três salários a mais. Procurou saídas que não existem e protelou o pagamento dizendo que consultaria o Tribunal de Contas. Como os salários não saíram, os três secretários entraram com Mandatos de Segurança dia 26 de junho, que receberam números processuais 201779001110- 1111 e 1112, assinados pelo advogado Aidam Santos Silva.
No dia seguinte, ou seja, dia 27.06.2017, o juiz Otávio Augusto Bastos Abdala, determinou pagamento dos subsídios dos secretários-vereadores, dando cinco dias de prazo para o Presidente da Câmara cumprir a determinação sob pena de ser afastado da presidência do Poder Legislativo, até posterior decisão. Além disso, estabeleceu dez dias de prazo para que Alexandre Dias, presidente da câmara, prestasse informações sobre o caso e que fosse, neste prazo, acionado o Ministério Público para vista. No dia 04 de julho, dr. Otávio Augusto reuniu os três mandatos em um só, por se tratar de postulações idênticas, e deixou claro que, além dos vencimentos de junho, as demais parcelas vencidas dos salários também teriam que ser pagas. No dia 06 de julho, o advogado da Câmara Municipal, Dr. Milton Eduardo, efetivou depósito judicial dos salários dos edis.
Na última terça-feira, dia 18 de julho de 2017, o juiz da Comarca de Poço Verde, Dr. Otávio Augusto Bastos Abdala, proferiu decisão determinando que o Presidente da Câmara Municipal efetivasse os pagamentos dos vereadores exatamente como é feito o pagamento dos outros edis, sem mudar uma vírgula de sua decisão anterior, evocando os artigos pertinentes da Constituição e do Regimento Interno da Câmara. Caso encerrado.
Há quem diga que o grupo do Iggor Oliveira fez isso por vingança, já que Alexandre Dias deu uma rasteira no prefeito para se eleger presidente da câmara. Disputas políticas à parte, ninguém pode ser condenado por usar a lei a seu favor ou contra o adversário. O que não se pode fazer é ir contra a Constituição. Se Alexandre Dias fez corpo mole para não pagar aos vereadores, em Heliópolis, Giomar Evangelista desafiou a República. Sua vingança pessoal contra a vereadora Ana Dalva contou com a leniência da Justiça e do TCM e ainda foi premiado por isso. A Justiça na Bahia é caso de polícia.
Além de uma decisão completamente equivocada, tomada pela desembargadora, o processo está há exatos 28 meses sem ser julgado. Giomar já não é mais presidente da câmara. Fez a lambança dele para outro pagar, com a cumplicidade dos seus colegas. A decisão em Sergipe durou exatos 23 dias. É certo que Alexandre Dias poderá ainda recorrer da decisão, mas é burrice política e jurídica, é dar murro em ponta de faca, fazer inimigos e despesas sem fruto algum. Repito: foram 23 dias em Sergipe com processo julgado e 28 meses na Bahia, ainda sem solução. Não há palavra criada que possa estabelecer uma disparidade dessa.
Certo dia sonhei dividir a Bahia para que do atual estado fossem formados outros quatro: Bahia, Estado Grapiúna, São Francisco e a Bahia do Norte. A nossa Bahia é grande demais e não consegue ser o estado que resolve nossos problemas. Só faz aumentá-los. Não melhora nunca. Chegaram a dizer um dia que era porque o povo só votava em políticos malvados. Elegemos o PT e continuamos no mesmo lugar. Poço Verde, em Sergipe, tem 25 mil habitantes e uma comarca só sua. A Comarca de Cícero Dantas não atende nem mesmo os seus 35 mil habitantes, ainda serve a Heliópolis, Fátima e Antas, num campo de 80 mil pessoas. É definitivamente colocar o cidadão em último lugar. 
Mas a decisão do juiz Otávio Augusto Bastos Abdala faz com que acreditemos ainda neste país. Temos que continuar torcendo que os giomares não vençam os moros e que os magistrados tenham como norte sempre a obediência à Constituição, por mais que tenham edis que, embora sejam constitucionalmente os elaboradores de leis, teimem em desobedecê-las. Por fim, como eu gostaria que Sergipe tivesse um serviço público que funcionasse com a rapidez de uma sentença do Dr. Otávio Augusto. Aí sua grandeza seria soberba a ponto de esquecê-lo como o geograficamente menor de todos os estados brasileiros. Numa coisa Sergipe pode se orgulhar: pode não ser o poder judiciário mais eficiente do país, mas, em relação à sonolenta justiça baiana, anda de Ferrari. 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Lula é condenado a nove anos e meio de cadeia

Juiz Moro o sentenciou por corrupção e lavagem de dinheiro. É a primeira vez na história do Brasil que um ex-presidente é condenado por receber propina
Por Rodrigo Rangel – de Veja.com  
Juiz Sérgio Moro é o primeiro a condenar um ex-presidente por corrupção
O juiz Sergio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A sentença, anunciada nesta quarta-feira, é a decisão derradeira de Moro no processo em que o petista foi acusado pela força-tarefa da Lava-Jato de receber propina da OAS, uma das empreiteiras do chamado clube do bilhão, que se refestelou nos últimos anos com contratos bilionários na Petrobras. Entre as vantagens recebidas por Lula, segundo a acusação, está um apartamento tríplex no balneário do Guarujá, em São Paulo. É a primeira vez que um ex-presidente do Brasil é condenado por corrupção.
Pouco menos de dez meses se passaram entre a acusação formal feita pelos procuradores da Lava-Jato e a sentença do juiz Moro. Ao acusar Lula, a força-tarefa apontou o ex-presidente como “chefe” do esquema de corrupção montado na Petrobras e o acusou de participar, em parceria com a OAS, do desvio de mais de 87 milhões de reais dos cofres da estatal. “Após assumir o cargo de presidente da República, Lula comandou a formação de um esquema delituoso de desvio de recursos públicos destinados a enriquecer ilicitamente, bem como, visando à perpetuação criminosa no poder, comprar apoio parlamentar e financiar caras campanhas eleitorais”, escreveram os procuradores. “Lula era o maestro dessa grande orquestra”, chegou a dizer, na ocasião, o coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol. 
De acordo com a denúncia, Lula recebeu 3,7 milhões de reais em vantagens indevidas pagas pela OAS. A maior parcela, 1,1 milhão de reais, corresponde ao valor estimado do tríplex, cujas obras foram concluídas pela empreiteira. Os procuradores sustentaram ainda que a companhia gastou 926.000 reais para reformar o apartamento e outros 350.000 reais para instalar móveis planejados na unidade, sempre seguindo projeto aprovado pela família Lula. A acusação inclui 1,3 milhão de reais que a OAS desembolsou para pagar uma empresa contratada para armazenar bens que o petista levou para São Paulo após deixar a Presidência da República. Desde o início da investigação que deu origem à sentença agora proferida por Moro, Lula sempre negou ter recebido vantagens da OAS. O ex-presidente ainda é réu em outros quatro processos.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Costureira tem casa arrombada em Heliópolis

Dona Estelita aponta a destruição em sua casa (foto: Landisvalth Lima)
Enquanto as pessoas se divertiam na madrugada de sábado para domingo ao som das atrações da Festa de São Pedro de Heliópolis, a casa da costureira Estelita Neves da Silva Santana, localizada na avenida Helvécio Pereira Santana, que fica exatamente aos fundos do destacamento da Polícia Militar de Heliópolis, e com acesso por um corredor que fica ao lado do mesmo destacamento, foi arrombada de forma misteriosa. O fato deve ter acontecido entre a meia-noite e as cinco da manhã, hora em que a costureira retornava do forró no novo calçadão.
Tudo foi revirado e destruído (foto: Landisvalth Lima)
A casa foi virada pelo avesso e quase nada de valor foi levado. O arrombador cuidou de destruir vários móveis, inclusive o aparelho de televisão. Também quebrou três das quatro máquinas que dona Estelita usava para ganhar o pão de cada dia. Curioso é que parece que o meliante procurava o celular da costureira. Foi a única coisa de valor levada, além de um roteador de internet. Dona Estelita, de 39 anos, também se queixou do roubo de todos os documentos. A única coisa que restou foi o cartão do SUS do filho dela. 
Máquinas foram destruídas (foto: Landisvalth Lima)
Perguntada se não suspeitava de ninguém, dona Estelita Neves disse que tem certeza que foi o ex-companheiro dela, de prenome David. Os dois estão separados e ela bloqueou o número dele no celular dela. Ele tentou contato e ela não quis mais conversa. Certo dia ele disse que ela iria se arrepender. Também ela já tentou enquadrá-lo na Lei Maria da Penha e chegaram a fazer um acordo de separação, mas parece que o David não está aceitando a coisa direito. A costureira está apavorada porque ainda não pode dar queixa. É que somente nesta terça-feira a delegacia estará aberta. Enquanto isso, dona Estelita está em pânico e pede socorro.

São Pedro de Heliópolis 2017 3ª Noite

Mastruz com Leite fez o melhor show do São Pedro de Heliópolis

Mastruz com Leite foi a melhor banda do São Pedro de Heliópolis (foto: Landisvalth Lima)
Depois de um sábado quase sem forró, o domingo veio para deixar saudades. A banda Mastruz com Leite recuperou o tom junino do São Pedro de Heliópolis e fez a maior e melhor apresentação deste ano. Das músicas de vaquejada, do forró romântico, do sertanejo e do forró clássico, numa salada de ritmos que chegou a beirar o alucinante, permitindo-nos acreditar na imortalidade da música nordestina, resume o show de cerca de 100 minutos da banda. E a noite ainda nos premiou com uma ótima apresentação das bandas Cavalo de Pau e Forró das Gringas. E para quem gosta do romantismo, Império da Sofrência e Prisioneiros do Arrocha massagearam os corações. Para completar a noite inesquecível, Leandro da Pisadinha, Gilberto Alves e o já conhecido forró Na Moita. 
Com o objetivo de incentivar a busca do melhor possível, este blog vai eleger os destaques do São Pedro de Heliópolis 2017. E o troféu de Destaque do ano vai para a Banda Mastruz com Leite. A apresentação foi impecável. Também devemos destacar o forrozeiro Adelmário Coelho. Ele levou público e brilho à sexta-feira e não pode ficar de fora de nenhuma festa junina de valor. Para pontuar a revelação das bandas de nossa região, o destaque fica com Alaelson do Acordeom e Banda. A união com Boca de Sergipe e Os Barões do Forró deu vitalidade ao nosso maior sanfoneiro. Agora, é esperar que os acertos do evento e a vitalidade organizacional sejam levados ao longo destes anos aos outros serviços públicos. O povo de Heliópolis merece. 
Para ver mais fotos da última noite do São Pedro de Heliópolis 2017, dê um clique AQUI.

domingo, 9 de julho de 2017

São Pedro de Heliópolis 2017 2ª Noite

São Pedro de Heliópolis: o forró perde espaço

Daniel Vieira cantou pela primeira vez em Heliópolis. Agradou, mas ficou devendo forró!
(foto: Landisvalth Lima)
A segunda noite do São Pedro de Heliópolis 2017 foi um grande teste para a nova casa da festa de maior tradição do município. Em sua 30ª edição, é a primeira vez que a festa não é realizada no calçadão da Régis Pacheco. Como o dia de sábado é o mais participativo, o número de foliões é significativo. Caberia tanta gente? Claro que sim! E com sobra! E olhe que não chegou a ficar aquela sensação de não ter como avançar. Afinal, são mais de 5 mil metros quadrados de área. O novo calçadão ficou completamente tomado e com grande mobilidade. Será a casa dos próximos festejos do São Pedro por vários anos.
Neste 8 de julho, as grandes atrações eram Daniel Vieira, Kinho Chefão e Samyra Show, mas ainda marcaram presença Alaelson do Acordeom, Forró Kaliente e AmorA2. Rolou de tudo. Da sofrência à quebradeira. Forró mesmo só no final da apresentação de Alelson de Acordeom, na voz de Boca de Sergipe, e isso não durou mais que uns 15 minutos. Impressiona a quantidade de músicas que são repetidas, com interpretações idênticas. Até os apelativos são iguais, desde para saber quem está solteiro, até para perguntar sobre a torcida de um determinado time de futebol. Quem queria ouvir forró, teve que se contentar com o ouvir do ralar com a bunda no chão.
Mas longe de dizer que a festa não foi um sucesso. Foi quase perfeita. Só é de se esperar que os músicos se lembrem de uma coisa chamada diversidade. Ninguém jamais imaginaria três dias de puro forró. Há outras manifestações que são bem-vindas. Aquelas que forem bem feitas e de bom gosto sobreviverão. O público gosta da multiplicidade de coisas e a festa é de Tradição. Isto inclui forró, xote, xaxado, sertanejo, pagode, axé etc. A música deve sempre representar a diversidade étnica e cultural da nossa gente e não apenas seguir uma tendência comercial e de apelo fácil.

Para ver mais fotos do 2º dia do São Pedro de Heliópolis, dê um clique AQUI.

sábado, 8 de julho de 2017

Adelmário Coelho brilha no São Pedro de Heliópolis

Adelmário Coelho leva grande público à nova casa do São Pedro de Heliópolis (foto: Landisvalth Lima)
A primeira noite do São Pedro de Heliópolis estava cercada de expectativas. Os mais pessimistas diziam que bêbados iriam despencar das arquibancadas e aqueles menos otimistas diziam que não haveria gente por causa do frio intenso. Nem os bêbados caíram, nem o frio atrapalhou. Afinal, uma atração de peso era esperada: Adelmário Coelho. Não deu outra: sucesso total. Talvez tenha sido uma das melhores sextas-feiras dos últimos tempos. Completaram a noite espetacular Wesley Nascimento, Leandro da Pisadinha, Paixão Ardente, Wallas Arrais e Os Mallas. Além das atrações, o som estava impecável. Ricardo Sá é a melhor estrutura sonora para eventos como o São Pedro de Heliópolis. O espaço novo também contribuiu sobremaneira, com um piso adequado para quem gosta do arrasta pé. Na hora da apresentação de Adelmário Coelho, ninguém ficou parado. É pena que o show durou apenas 75 minutos. Todos ficaram com um gosto de quero mais.

Para ver mais fotos da noite da sexta-feira, 07 de julho, dê um clique AQUI.

São Pedro de Heliópolis 2017 1ª Noite

sexta-feira, 7 de julho de 2017

São Pedro de Heliópolis 2017: Começou!

São Pedro de Heliópolis 2017: Alvorada (foto: Landisvalth Lima)
     Nada de crise, nada de frio, nem mesmo a chuva que caiu durante toda noite. Nada mesmo impediu que a alegria contagiasse o povo na abertura do São Pedro de Heliópolis, Alvorada desta sexta-feira, 07 de julho. Com o Trio Elétrico Foguinho e a animação da banda Forró dos Plays, variando da quebradeira ao forró, uma multidão seguiu cantando e dançando ao longo da avenida Helvécio Pereira de Santana, num culto à alegria e no espanto ao que do mal vier.
     Para ver mais fotos da Alvorada, dê um clique AQUI

São Pedro 2017: Alvorada

terça-feira, 4 de julho de 2017

CEJDS encerra Festa Junina 2017

Fogo na Saia (no alto à esquerda), Asa Branca (no alto à direita), os Casais Caipiras 
(embaixo à esquerda) e as Rainhas do Milho (embaixo à direita) animaram a festa.

(foto-montagem: Landisvalth Lima)
No segundo dia da Festa Junina do Colégio Estadual José Dantas de Souza, a animação foi total. Por volta das 14 horas desta terça-feira (04), tivemos a final do concurso do Casal Caipira, da Rainha do Milho e do casal de dançarinos. Em seguida, foi a vez do Paredão do Dido animar estudantes, professores, funcionários e convidados. Pouco depois, a Quadrilha Asa Branca, do povoado Tijuco, tomou conta do espaço e fez uma apresentação muito boa. Na sequência, a Quadrilha Junina Fogo na Saia, da cidade de Cícero Dantas deu um show. A abertura da apresentação foi uma verdadeira homenagem à Literatura de Cordel, focada na história de Cícero Dantas. Com muito colorido, os componentes não deixaram o público respirar por aproximadamente meia hora.
A direção da escola comunicou ao público que fora cancelada a apresentação da banda Alaelson do Acordeom. Como vários motoristas do transporte escolar não adiaram a volta dos alunos para as 21 e 30, os estudantes da zona rural ficariam impossibilidades de participar do evento no horário noturno. Assim, os portões foram abertos e quem comprou ingresso trocou por cartela de um bingo. E foi logo após a apresentação da quadrilha Fogo na Saia que o Bingo foi realizado. Em seguida, a animação ficou por conta do Paredão do Dido, animando o público até às 20 e 30 horas. O CEJDS entra em recesso escolar. As atividades em sala de aula só retornarão dia 13 de julho. A escola ficará aberta, para fins administrativos, dias 5, 6, 11 e 12, apenas no horário das 8:00 às 17 horas.

Para ver as fotos do 2º dia, dê um clique AQUI.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Festa Junina do CEJDS - 1º dia

CEJDS realiza Festa Junina 2017 (foto: Landisvalth Lima)
     A direção do Colégio Estadual José Dantas de Souza está promovendo sua Festa Junina 2017. Nesta segunda-feira, dia 03 de julho, o evento foi interno, mas nem por isso menos animado. Muita música, comidas típicas e ornamentação junina. Nesta terça-feira, dia 04, haverá apresentação de quadrilhas, concurso de paródias, um bingo de 800 reais, concurso de forró, concurso do casal caipira e a apresentação de Alaelson do Acordeon. O evento terá início a partir das 13 horas, com patrocínio da Prefeitura Municipal de Heliópolis. Para ver mais fotos do 1º dia, dê um clique AQUI. 

A casa nova do São Pedro de Heliópolis

O novo espaço é amplo e confortável na Praça Isabel Ribeiro (foto: Landisvalth Lima)
       O tradicional São Pedro de Heliópolis será realizado nos dias 7, 8 e 9 de julho. Este ano, a maior atração da festa é o novo calçadão na Praça Isabel Ribeiro. A casa nova tem dois níveis de piso e uma arquibancada entre eles. Quem não quiser dançar vai poder assistir aos shows sentado. Para os que não gostam de ficar parado, o espaço é generoso e pode abrigar 20 mil pessoas. A Prefeitura Municipal de Heliópolis já está com quase tudo preparado e no primeiro dia o forró será animado com atrações de peso.
     Logo na Alvorada, o arrastão começa com Forró dos Plays. Na noite da sexta-feira, Adelmário Coelho e Wallas Arrais. Completam o primeiro dia Wesley Nascimento, Paixão Ardente, Leandro da Pisadinha e Oz Mallas. No sábado, a animação fica por conta de Daniel Vieira, Kinho Chefão e Samyra Show. Completam a noite Alaelson do Acordeon, Amor A2 e Forró Kaliente. No domingo, a animação ficará por conta do Forró das Gringas, Cavalo de Pau e Mastruz com Leite, além de Império da Sofrência, Prisioneiros do Arrocha e Gilberto Alves. 
      O palco ficará num lugar bem adequado, exatamente em frente ao mercado abandonado. Serão dois palcos, o que garantirá a ausência de intervalos longos. O local já está sendo completamente preparado e, ao contrário de anos anteriores, haverá sete entradas e saídas, facilitando o vai-vem de pessoas. Na entrada principal, na rua que faz ligação com a avenida que segue para Poço Verde-Se, as barracas já estão sendo armadas. Só dois senões foram verificados, o que não chega a atrapalhar a festa: dois vãos de cada lado das arquibancadas, que deveriam ter plantado grama, e uma das ruas de acesso, que está sem calçamento. De resto, tudo vai ficar perfeito. Para dançar, o piso é o mais adequado. Só está faltando é animação e, no dia, isto não faltará no maior São Pedro do Nordeste da Bahia. 

sábado, 24 de junho de 2017

Lula diz que Lava Jato cria imagem negativa dele

Heliópolis: Populares reagem e bandido é morto em assalto a ônibus

Mais um assalto a ônibus acontece na zona rural de Heliópolis
Mais um assalto a ônibus acontece em Heliópolis. Desta vez, o veículo assaltado foi o do sr. Ataíde do Tanquinho. Todos os sábados, o veículo sai da localidade de Tanquinho, em Heliópolis, e segue por vários povoados, finalizando o trajeto nas feiras de Heliópolis e Poço Verde-Se. Neste sábado de São João, por volta das 7 horas da manhã, os passageiros foram surpreendidos com um assalto. Dois meliantes armados começaram a fazer a arrecadação forçada na estrada próxima ao povoado Jiboia, também no município de Heliópolis.
Quando tudo parecia caminhar para mais um assalto corriqueiro, um dos bandidos tentou subtrair a bolsa de uma senhora. Ela resistiu. Não queria entregar seus pertences ao bandido. Este acabou reagindo com violência. O marido da senhora, ao lado, não resistiu ao ver sua esposa tomando murros na cara e reagiu. Segundo populares, seu nome é João Batista, morador da localidade de Curaçá, no mesmo município. Ao socorrer a esposa, João acabou provocando uma reação em cadeia.
Num outro ponto do ônibus, o segundo meliante, ao perceber o perigo que corria o colega, afobado com a situação, começou a atirar e acabou por atingir o próprio parceiro de contravenções. No tiroteio, João Batista foi atingido no rosto. Uma senhora também conhecida por Maria de João de Nezinho está com uma bala alojada no quadril. A mãe dela, que estava próxima, na hora do corre-corre, também acabou se ferindo sem gravidade.
No fim das contas, o bandido que atirou, vendo o amigo ferido, pegou o produto do roubo e o revolver do colega e fugiu. Além de deixar o parceiro, o meliante esqueceu uma sacola com algumas placas de motos, usadas para despistar a polícia. No calor do desespero, segundo informações ainda não confirmadas, o bandido ferido foi morto por populares a golpes de chave de roda e deixado o corpo num pasto próximo ao local, onde aguarda o IML para autópsia. 
Os feridos no incidente foram rapidamente levados para Poço Verde, no estado de Sergipe. Devido ao estado grave de João Batista, ferido gravemente no rosto, uma aeronave do GTA - Grupo Tático Aéreo - da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe foi acionada e ele foi conduzido para o Hospital de Urgência – o HUSE, em Aracaju. Também Maria de João de Nezinho foi socorrida pelo helicóptero. Como as informações estão desencontradas e ainda não foi concluída a apuração policial, estamos ainda aguardando novas informações. Fato é que ninguém reconheceu o bandido morto e ninguém quer falar a respeito da reação popular que acabou com a morte do meliante. 

sábado, 17 de junho de 2017

Joesley Batista: “Temer é o chefe da quadrilha e Lula institucionalizou a corrupção no Brasil”

Em entrevista exclusiva para a ÉPOCA, assinada pelo jornalista Diego Escosteguy, o empresário Joesley Batista, um dos donos da J&F, diz que o presidente não tinha “cerimônia” para pedir dinheiro e que Eduardo Cunha cobrava propina em nome de Temer. A entrevista está publicada na edição desta semana e é a primeira entrevista exclusiva desde que fechou a mais pesada delação dos três anos de Lava Jato. Em mais de quatro horas de conversa, precedidas de semanas de intensa negociação, Joesley explicou minuciosamente, sempre fazendo referência aos documentos entregues à Procuradoria-Geral da República, como se tornou o maior comprador de políticos do Brasil. Discorreu sobre os motivos que o levaram a gravar o presidente Michel Temer e a se oferecer à PGR para flagrar crimes em andamento contra a Lava Jato. Atacou o presidente, a quem acusa, com casos e detalhes inéditos, de liderar “a maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil” – e de usar a máquina do governo para retaliá-lo. Contou como o PT de Lula “institucionalizou” a corrupção no Brasil e de que modo o PSDB de Aécio Neves entrou em leilões para comprar partidos nas eleições de 2014. O empresário garante estar arrependido dos crimes que cometeu e se defendeu das acusações de que lucrou com a própria delação.

Para ler a entrevista, dê um clique AQUI.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Ex-cantora de Cavaleiros do Forró morre em Aracaju

Eliza Clívia cantou em Heliópolis em 2014
A ex-vocalista da banda Cavaleiros do Forró, Eliza Clívia, 37 anos, e o namorado dela, o baterista Sérgio Ramos, morreram hoje à tarde num acidente envolvendo um ônibus e o carro de passeio em que viajavam. A fatalidade aconteceu entre as ruas Arauá e Maruim, no centro de Aracaju (veja vídeo neste post). O casal estava se deslocando para a TV Atalaia, afiliada da Record em Sergipe, para dar uma entrevista no Programa Tolerância Zero. No último post em sua conta no Instagram, a cantora contou que já tinha chegado em Aracaju e que já estava na TV Aperipê.
O carro onde estavam as vítimas teria invadiu a rua preferencial, colidindo com um ônibus de transporte coletivo, como mostra o vídeo. O produtor da cantora, Jailson Souza, disse que cinco pessoas estavam no carro no momento do acidente. Três deles foram removidos para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) com ferimentos leves. 
Eliza nasceu em Livramento da Paraíba e ficou conhecida quando atuou na banda Cavaleiros do Forró e depois na Cavalo de Aço. Esteve no São Pedro de Heliópolis em 2014, inclusive na Alvorada, atuando na banda Cavaleiros do Forró. Atualmente fazia carreira solo em que comemorava 20 anos como cantora. Eliza se apresentaria nesta sexta-feira(16) à noite no Armazém Avenida, casa de show na avenida Hermes Fontes, em Aracaju, que estava promovendo a festa “Arraiá Vip”. Os corpos de Eliza e do namorado dela, Sérgio Ramos, foram levados para o Instituto Médico Legal (IML).

PT, PMDB e PSDB de mãos dadas!


Alexandre Garcia fala sobre agressões sofridas

Alexandre Garcia não reagiu às provocações (foto:Cariri Notícias)
     Depois do episódio de intolerância vivido pela jornalista Miriam Leitão, da TV Globo e do jornal O Globo, hostilizada dentro de um avião por militantes do PT, o jornalista Alexandre Garcia, também do grupo Globo, passou pela mesma experiência lamentável nesta quinta-feira. Acompanhado da mulher, Magda Pereira, Garcia foi sucessivamente ofendido por um militante de esquerda antes de embarcar e durante o voo que o levou do aeroporto de Brasília ao aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte.
     O rapaz estava no mesmo voo, o 1700, da companhia aérea Gol, e registrou as hostilidades ao jornalista em um vídeo, que circula em redes sociais e no YouTube (veja abaixo). Ainda na fila do embarque, ele grita palavras de ordem contra a Rede Globo e Alexandre Garcia, acusando-os de terem apoiado a ditadura militar, e chama o jornalista diversas vezes de “golpista”.
     “Que legal que a gente vai no mesmo voo. Golpista! Vai ter mimimiriam Leitão? Alexandre, você também vai soltar notinha se vitimizando igual à Miriam Leitão?”, grita o rapaz. “Vai chamar a Polícia Federal? Vai ter mimimi? Vai dizer que é ódio? Vocês que incentivam o ódio contra o PT, o PCdoB, contra a esquerda”, continua. As agressões verbais seguiram até a entrada de Garcia no avião, quando ele foi xingado de “cagão”. O jornalista não respondeu às provocações.
     A VEJA, Alexandre Garcia relata que os ataques do rapaz começaram ainda no saguão do aeroporto e, embora tenham cessado durante o voo, foram retomados quando a aeronave pousou na capital mineira. “Vi que tinha um sujeito gritando atrás de mim, enlouquecido. É o momento dele aparecer, parecia que estava fora de si. Disse que o destino marcou esse encontro, que nos colocou no mesmo voo. Ele veio gritando desde o balcão”, diz.
     Mesmo diante dos ataques ao jornalista na fila para embarcar, os dois funcionários da Gol responsáveis por conferir as passagens não tomaram nenhuma providência para resguardá-lo, como mostra o vídeo. As imagens mostram, no entanto, que, durante a entrada dos passageiros no avião, o comandante chama o jornalista à entrada da cabine e conversa com ele.
      Segundo Alexandre Garcia, o piloto disse que poderia retirar o rapaz do voo, mas que ele, Garcia, não concordou com a medida. “A aeromoça da Gol tomou a iniciativa de chamar o comandante, que queria expulsá-lo do avião, mas não deixei. É alguém que quer aparecer. E ele acabou voando graças a mim”, ironiza o jornalista. “Era uma pessoa muito alterada, não dei muita importância”, afirma.
     Alexandre Garcia relata que, diante da gritaria do jovem contra ele, o ex-deputado federal do PT e ex-ministro Sigmaringa Seixas lhe prestou solidariedade no aeroporto de Brasília. Ao contrário das hostilidades a Miriam Leitão, atacada por alguns militantes petistas em um voo de Brasília ao Rio de Janeiro, o detrator de Garcia agiu sozinho.

     (João Pedroso de Campos - Veja.com)


domingo, 11 de junho de 2017

O que mudou no ENEM?

Heloísa Helena: história de resistência e verdade

A ex-senadora que chamou a atenção do mundo está hoje na Rede Sustentabilidade e quer ajudar Marina Silva a consolidar uma identidade para a militância do partido
Heloísa Helena em Seabra-BA (foto: Landisvalth Lima)
O nome dela é Heloísa Helena Lima de Moraes Carvalho. Nasceu na cidade de Pão de Açúcar, no estado de Alagoas, às margens do Rio São Francisco. Completou no último dia 6 de junho seus 55 anos de vida, boa parte deles dedicados à luta contra as mazelas que insistem em tomar conta do país. Ao olhar para ela, para os seus cabelos já repletos das mechas brancas confirmadoras dos nascidos em 1962, ninguém jamais imaginaria tratar-se de uma mulher que desafiou boa parte dos coronéis da política deste país. Amável, sempre sorridente, solícita com todos e dona de uma capacidade ímpar de ouvir humildemente. Uma vez na tribuna, com o microfone na mão, ela não deixa para amanhã as verdades que devem ser ditas hoje.
Heloísa Helena parece que ainda não se cansou da luta, embora tenha já afirmado o ano passado que estava aposentada das urnas. Todos se lembram que ela foi a 3ª colocada nas eleições presidenciais em 2006, foi a primeira senadora eleita pelo estado de Alagoas, e pelo PT. Expulsa do Partido dos Trabalhadores em 2003, fundou o PSOL em 2006. Teve a coragem de deixar a presidência da legenda quando o PSOL resolveu apoiar Dilma Rousseff. Foi ainda deputada estadual e vice-prefeita de Maceió. Sem ligação com o estrelismo, disputou e ganhou dois mandatos seguidos de vereadora em Maceió.
Heloísa Helena é atualmente presidente da fundação ligada à Rede Sustentabilidade e também assumiu a coordenação da organização partidária. Sempre foi ligada, desde muito jovem, aos movimentos sociais. Durante a década de 1990, participou, no PT em Maceió, de ações que visavam à defesa de minorias e segmentos sociais menos favorecidos. Candidata pela primeira vez em 1992, se elegeu vice-prefeita de Maceió na chapa do então governador Ronaldo Lessa (PSB). Dois anos depois, foi eleita deputada estadual, a primeira pelo PT em Alagoas.
Em 1996, certamente não gostando dos rumos tomados pelo grupo político que ajudou a chegar ao poder, rompeu com Lessa e candidatou-se à Prefeitura de Maceió contra a então secretária da saúde do município, Kátia Born (PSB), que acabou eleita. Mesmo liderando as pesquisas desde o início do processo eleitoral, foi derrotada no segundo turno. Em outubro de 1998, Heloísa Helena, ainda no PT, é eleita com 374.931 votos como a primeira senadora mulher da República Federativa do Brasil, por seu estado natal, derrotando o então senador Guilherme Palmeira, do então PFL.  Heloísa Helena é formada em Enfermagem e virou professora de Epidemiologia da UFAL – Universidade Federal de Alagoas.  
A ex-senado parece incansável na luta para fazer este país melhor (foto: Landisvalth Lima)
No senado, Heloísa Helena foi a principal pedra no sapato no neoliberalismo de Fernando Henrique Cardoso e do PSDB. Acusava o governo do desmantelamento das políticas sociais, do Estado e da economia nacional, produzindo o mais amplo processo de exclusão social já visto no Brasil, levando desespero a milhares de trabalhadores brasileiros. Chegou a assumir a vice-presidência da Comissão de Assuntos Sociais do Senado e era titular do Conselho de Ética do Senado. Não é necessário dizer que sua participação era garantia de debate constante e de combate às desigualdades sociais. Graças à atuação marcante, virou Líder da Oposição em 2000. Heloísa também apoiou o pedido de impeachment contra FHC no segundo mandato dele, envolvendo a questão do PROER. Aliás, a ex-senadora sempre foi coerente. La viu o PT pedir o impeachment de todos os presidentes da república eleitos pelo voto popular após a redemocratização.
Ao contrário do PSOL e parte da Rede, Heloísa viu o impeachment de Dilma como um ato legal. Agora na Rede, Heloísa não entende como a esquerda brada a saída de Dilma como um golpe, embora reconheça que a legitimidade do cargo de Temer não significa legitimidade política. Essa coerência trouxe muitos problemas para Heloísa. Em 2002 se recusou a ter como vice um político do PL e renunciou à candidatura ao governo de Alagoas. Não queria aliança política com seguidores de Fernando Collor e políticos ligados ao narcotráfico. No ano seguinte, com a vitória de Lula, a última coisa que o PT queria era uma petista coerente. Não aprovou a política econômica do PT e se negou a ratificar o nome de Henrique Meireles para o Banco Central. Além disso, a então senadora teria que engolir o nome de Sarney para presidência do Senado. Era demais para sua biografia. O embate com o governo do PT foi inevitável.  Hoje, a reforma da Previdência, que está fazendo petistas bradarem seus ideais socialistas e revolucionários contra o “governo golpista”, lembra muito a saída de Heloísa Helena do PT. Por entender que o projeto tiraria direitos dos servidores públicos, Heloísa votou contra. Foi expulsa do PT.
Heloísa Helena com os representantes da Rede em Seabra-BA (foto: Landisvalth Lima)
Não dá para entender hoje como José Dirceu e José Genoíno, praticamente os responsáveis pela expulsão dos petistas naquela época, mesmo envolvidos em maracutaias, são considerados heróis do Partido dos Trabalhadores. Enquanto isso, Heloísa Helena segue sua trajetória e, até aqui, não recebeu o reconhecimento dos chamados “esquerdistas”. Mas a ex-senadora deve ter engolido seco quando viu o partido que ela criou, o PSOL, com os expulsos e não reconhecidos do PT, apoiar o próprio algoz, mesmo depois de tanta denúncia envolvendo corrupção e desmonte da Petrobras.  Já vereadora em Maceió, num discurso histórico, disse que o PT frustrou as expectativas dos socialistas brasileiros, porque não transformou o Brasil em uma nação socialista e não resolveu a triste estimativa de dezesseis milhões de brasileiros vivendo em situação de pobreza extrema.
Mas a luta de Heloísa foi reconhecida, claro, não por socialistas. Estes têm uma dificuldade em reconhecer os verdadeiros batalhadores. Precisam de mitos, jamais da realidade. Em 2005 foi agraciada, pelo Governo do Estado de Alagoas, com a Medalha Marechal Floriano Peixoto. Ainda no mesmo ano recebeu a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, concedida pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Também em 2005 foi eleita pela revista Forbes a mulher mais influente na política e no legislativo Brasileiro. Para fechar o ano glorioso, em dezembro, os profissionais de comunicação, agência de publicidade e leitores da Revista Isto É Gente elegeram Heloísa Helena como Personalidade do ano de 2005.
Sempre amável e sorridente com a militância (foto: Landisvalth Lima)
Agora, Heloísa é bem recebida na Rede, mas ecoam ainda o martírio sofrido na sua caminhada política. Teve candidaturas impugnadas, boatos espalhados para prejudicar sua candidatura, silêncio da imprensa do seu estado e outros senões. Mesmo assim, parece ainda ter energia para uma longa caminhada. Se depender da disposição demonstrada em discurso feito no encontro da Rede na cidade de Seabra-BA, não há dúvida de que Marina Silva recebeu extraordinário reforço para as eleições de 2018. Como também participa da organização do partido, Heloísa Helena tem uma missão difícil: dar identidade à Rede Sustentabilidade. O partido não pode entrar na velha dicotomia política do nós contra eles. Precisa ser uma real alternativa, uma terceira via independente, distante dos chavões da esquerda ultrapassada, sem perder sua opção pelo social, pela ética e pela luta pelo progresso sustentável. Não pode, como fez o PSOL, virar satélite rebelde do PT. 
Por tudo isso, é preciso reconhecer que Heloísa Helena hoje está acima dos partidos. Como Marina Silva, representa a marca da luta de um país que se nega ao não ser. É uma personalidade que vai além das agremiações políticas, que não se contenta apenas em ver a casa arrumada, porque sempre é possível ir além das possibilidades. Heloísa Helena é hoje patrimônio político do Brasil e símbolo daqueles que têm a capacidade de dizer sempre a verdade.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Moradores de Umbuzeirão sofrem com agrotóxicos

Moradores de Umbuzeirão, em Poço Verde, sofrem com agrotóxicos (foto: J. Trindade)
     Em reportagem de Melissa Diniz, do portal UOL, ficamos sabendo que cada brasileiro consome 7 litros de agrotóxicos por ano. Certamente, os moradores da localidade de Umbuzeirão, município de Poço Verde, devem estar consumindo muito mais. O povoamento fica ao lado da propriedade do agricultor Arnaldo Araújo, que usa constantemente agrotóxicos. Segundo informações da estudante Josefa Joilma, uma moradora que vive ao lado da propriedade do sr. Arnaldo, Dona Iolanda, passou muito mal e chegou a ser hospitalizada em Poço Verde. Também as crianças apresentam muitos sintomas típicos do excesso de agrotóxicos e três delas foram parar no hospital.   
     A reportagem de Melissa afirma que o pensamento comum é de que frutas, legumes, grãos, cereais e outros alimentos naturais viram um banquete de nutrientes e vitaminas que se transformam em mais saúde para o corpo. Seria perfeito mesmo, não fosse a presença de ingredientes adicionados à grande maioria deles ainda na terra: os agrotóxicos. E é exatamente isso que faz o Sr. Arnaldo Araújo, e quase todos os agricultores. Em épocas de inverno generoso, a produção de milho em Poço Verde é a maior do estado de Sergipe e o uso de agrotóxicos tem ajudado na produção. Ocorre que, quando o ser humano é afetado, a história tem que mudar. 
Dois cães já morreram vítimas dos agrotóxicos (foto: J. Trindade)
     Estas substâncias químicas são usadas aos montes na agricultura brasileira, a tal ponto que, desde 2008, o Brasil ocupa o posto de campeão mundial no uso de agrotóxicos para manter as pragas longe das lavouras, segundo dados do Ibama. Só que, além de matar pragas, o veneno também mata pessoas e animais. O estudante José da Trindade Silva informa que dois cães já morreram e um está muito doente. "É claro que as pessoas estão sendo contaminadas e é preciso fazer algo urgente.", disse José. 
     Se de um lado o agronegócio progride com a garantia de colheitas sem prejuízos, por outro nos tornamos consumidores de substâncias desconhecidas, muitas delas consideradas, inclusive, cancerígenas. Um levantamento da Fundação  Oswaldo Cruz aponta que cada brasileiro consome, em média, 7 litros desse veneno por ano. Isso é a realidade do consumidor final do produto. Agora, e quem mora ao lado? Os moradores de Umbuzeirão querem uma solução rápida das autoridades.